APH

APH

Zé Neto diz que pesquisa qualitativa o favorece em Feira: "mais de 60% da população diz que está na hora de mudar"



O Partido dos Trabalhadores montou um Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) em Feira de Santana e já começou a rascunhar composições para calibrar a pré-candidatura do deputado federal Zé Neto para 2020, tentando manter o mesmo arco de alianças entre os partidos da base do governador Rui Costa.

"Nossa expectativa inicial é, primeiro, conversar com todos os partidos da nossa base, que é o correto. E esse correto é uma orientação, inclusive, permanente do nosso governador Rui, do nosso senador Wagner. Eu quero conversar, mais pessoal[mente], com outras pessoas. Essa semana estive com Sérgio Carneiro, conversei por telefone com Targino, eu e Robson vamos também conversar com ele", disse Zé Neto nesta sexta-feira (5), durante cerimônia na Governadoria, em Salvador.
Dois números provocam entusiasmo em Zé Neto e norteiam a estratégia dos petistas para abater o grupo do prefeito ACM Neto no segundo maior colégio eleitoral da Bahia. "Há um desgaste grande do atual grupo. Em todas as pesquisas mais de 60% da população dizem que está na hora de mudar. Nós, nas últimas cinco pesquisas feitas na cidade, o menor valor de percentual [que tivemos] foi em torno de 25%, que para a gente é importante, mas não é muita coisa. A gente sabe que tem um processo longo, tem que caminhar e muito ainda para trabalhar, consolidar o que está aí e até avançar, então não quer dizer muita coisa pesquisa agora", apontou Zé Neto.
"Mas o dado de que tem mais de 60% da população dizendo que quer mudar, já é um dado qualitativo. Esse dado qualitativo, para mim, é o que está deixando eles mais apavorados", acrescentou. Zé Neto, porém, não respondeu objetivamente se espera contar com o PSD em sua chapa majoritaria. "Acho importante contar com o PSD, não só em Feira, mas em toda a Bahia. O PSD é um partido que faz parte da nossa composição, um dos basilares da nossa aliança".
A legenda, comandada na Bahia pelo senador Otto Alencar, pode lançar Fernando Torres, ex-secretário estadual de Rui, como candidato próprio e agitar o tabuleiro político na Princesa do Sertão. "Quanto à participação de Fernando, prefiro não criar nenhuma polêmica com ele até aqui. Ele foi secretário de estado nosso, é do partido que está no nosso projeto, partido que, eu diria, basilar, e eu acho melhor deixar as coisas se acalmarem. De minha parte, eu tenho me movimentado pouco no sentido de discutir as questões eleitorais", contemporizou Zé Neto. 
"Lá no município a gente vai, no momento certo começar uma caravana para dentro dos distritos e bairros, conversar com as pessoas, ouvir para ir alimentando esse processo de escuta", encerrou o petista.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.