Hospital Clériston Andrade poderá suspender cirurgias eletivas por causa do coronavírus - BEREU NEWS

Últimas Notícias

Post Top Ad

Anuncie Aqui

13 de março de 2020

Hospital Clériston Andrade poderá suspender cirurgias eletivas por causa do coronavírus

A médica coordenadora da emergência, Helvia Fagundes, disse que a suspensão das cirurgias já está nos planos do hospital desde a formação do comitê do coronavírus.

Hospital Clériston Andrade poderá suspender cirurgias eletivas por causa do coronavírus

As cirurgias eletivas no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA) poderão ser suspensas a partir da próxima semana. A medida tem por objetivo reduzir o fluxo de pessoas no hospital por causa do coronavírus. A médica coordenadora da emergência, Helvia Fagundes, disse que a suspensão das cirurgias já está nos planos do hospital desde a formação do comitê do coronavírus.

“Montamos um comitê interno no hospital e já estávamos avaliando essa questão, discutimos se era o caso de iniciar a suspensão de cirurgias eletivas. Esta semana ainda não suspendemos essas atividades por entender que temos apenas transmissão local, com três casos. Ainda não existe indício de transmissão comunitária e a gente está se preparando. Nesse momento ainda não cancelamos, mas está em pauta com a diretoria do hospital e muito provavelmente serão suspensas em algum momento”, afirmou.

A coordenadora explicou que o perfil de pacientes de cirurgias eletivas do HGCA é especial e muitas vezes os pacientes têm dificuldades de realizar os procedimentos cirúrgicos em outras unidades, por não haver, muitas vezes, outra unidade na região que realize o procedimento.

Além disso, Helvia Fagundes informou que existem pacientes que ficam internados no Clériston Andrade aguardando cirurgias e por isso esses procedimentos podem não ser suspensos, já que a saída do paciente do hospital depende da realização do procedimento cirúrgico.

“Se a gente adia essa cirurgia, existe o risco desse paciente ficar ainda mais tempo internado, então muitas vezes a cirurgia vem como uma solução para desospitalizar esses pacientes. Os pacientes que podem aguardar a cirurgia em casa, que não tem um risco maior, podem aguardar a remarcação do procedimento cirúrgico. O objetivo é reduzir o fluxo de pacientes dentro do hospital assim como de visitantes para atrasar a disseminação da doença e também para ter leitos para atender a demanda nova que está surgindo”, afirmou.

A médica frisou ainda que o Hospital Geral Clériston Andrade vai continuar atendendo os pacientes do mesmo perfil, além da demanda de pacientes do Covid-19 que necessitar de internamento.

“Volto a dizer que o paciente do Covid-19 que está bem, vai ser acompanhando pela rede básica de saúde e o isolamento é domiciliar. O Clériston Andrade é destinado a pacientes com necessidade de internação”, pontuou. 

Post Bottom Ad

Anuncie Aqui

Páginas