APH

APH

Recuperação de 'gordinha' que tombou em Ondina levará 10 dias

Uma das outras estátuas está com base intacta; a terceira passará por inspeção

A estátua das "Gordinhas de Ondina" que caiu nesta sexta-feira (10) por conta da oxidação da base de ferro vai levar até 10 dias para ser recuperada. Uma equipe da Superintendência de Conservação e Obras Públicas (Sucop) visitou o local e fez os preparativos iniciais para reforçar a estrutura da estátua Mariana, parte do conjunto cujo nome oficial é Meninas do Brasil.
Hoje, a estátua foi envolvida em um plástico-bolha e cercada com um tapume. Na segunda, Mariana vai ser levada para uma área vizinha, deitada em uma espécie de berço de areia para os trabalhos de reparo da base.
Como a queda deixou arranhões na estátua, a Fundação Gregório de Mattos (FGM) também fará restauros na peça. Outra estátua, Damiana, já precisou ser retirada do local para obras de drenagem durante a primeira etapa das obras na Orla e, por isso, está com estrutura da base intacta. A terceira, Catarina, terá uma avaliação da estrutura de sustentação para verificar se precisa de reparos. 
(Foto: Divulgação)
As três integram a obra de autoria da artista plástica Eliana Kértesz, que dá nome à praça onde ficam. Todo o monumento foi esteticamente restaurado em outubro do ano passado pela FGM, por conta de desgastes causados pelo tempo e por ações de vandalismo. As bases, contudo, não tinham passado por intervenções na data. As estátuas são feitas de bronze, mas as bases são de ferro. Cada uma tem quase quatro metros de altura e pesa uma tonelada e meia.
A praça onde estão integra as obras de requalificação do segundo trecho das orla de Ondina, já em andamento, e vai passar por processo de reforma. As intervenções, a cargo da Sucop, vão até a Praça Orugan, com 1,2 quilômetro de extensão.
Tecnologia do Blogger.