APH

APH

Delegado do caso Marielle teria recebido R$ 400 mil de propina para obstruir investigação, diz PF

Rivaldo Barbosa nega as acusações



O delegado Rivaldo Barbosa está sendo acusado pela Polícia Federal de ter recebido R$ 400 mil para obstruir as investigações sobre a morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e o motorista Anderson Gomes, assassinados em março de 2018, no Rio de Janeiro.

A PF apresentou relatório ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ), afirmando que Barbosa foi citado na conversa telefônica entre o vereador Marcello Sicilliano e o miliciano Jorge Alberto Moreth, conhecido como Beto Bomba, que está preso.

Em entrevista ao Uol, o delegado negou as acusações e disse que desconhece o relatório da PF e o conteúdo da ligação interceptada. Sobre o caso Marielle, ele disse que nunca atrapalhou as investigações.

Imagem relacionada

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.