APH

APH

Madrasta é suspeita de matar enteada para receber herança de R$ 800 mil

Durante dois meses, criança foi internada nove vezes
Uma mulher, de 42 anos, foi presa pela Polícia de Cuiabá, no estado do Mato Grosso sob suspeita de ter matado por envenenamento a entenda, identificada como Mirela Poliane de Oliveira, de 11 anos. O crime teria sido causado porque ela estaria interessada na herança da garota. A polícia local continua com as investigações. O pai nega ter participado do ocorrido.
Segundo informações coletadas pela polícia, a suspeita começou a dar para Mirela um veneno, que tem venda proibida no Brasil, a fim de causar a morte da enteada. O motivo seria o interesse que a madrasta teria na herança, avaliada em R$ 800 mil e que só poderia ser utilizada pela garota após completar 24 anos. A quantia foi concedida a menina após uma disputa judicial dos seus avôs maternos com o hospital em que a mãe de Mirela faleceu. Ela morreu devido a complicações médicas durante o parto. Durante dois meses, Mirela foi internada nove vezes. A morte da menina foi confirmada no mês de junho.
Acusada pela morte da enteada, a mulher ainda é suspeita de ter matado, também por envenenamento, o avô materno da garota. O pai da criança, que não teve identidade revelada, diz que não sabia do plano da esposa. Presa, ela será indiciada por homicídio duplamente qualificado praticado por envenenamento e motivo torpe.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.