Espanha supera a China em mortes por coronavírus com 3.434 óbitos - BEREU NEWS

Últimas Notícias

Post Top Ad

Anuncie Aqui

26 de março de 2020

Espanha supera a China em mortes por coronavírus com 3.434 óbitos

Contaminados aumentam em 20%, chegando a 47.610, de acordo com o Ministério da Saúde

Imagem do Hospital 12 de Octubre, de Madri, na Espanha. Pacientes aguardam atendimento no chão nesta quarta-feira.

A Espanha já supera a China em mortes por coronavírus com 3.434 falecidos, o que significa um aumento de 738 casos, ou seja, 27% a mais do que na terça-feira. Na China, onde a pandemia já está controlada, os mortos chegam a 3.287. Com esses números, a Espanha se transforma no segundo país do mundo em mortes por coronavírus, atrás somente da Itália (com mais de 6.800), de acordo com o último balanço do Ministério da Saúde.

“Houve um aumento de casos de 20%, equivalente ao que vimos nos últimos dias e mais baixo do que na semana passada. Esses aumentos são variáveis nas diversas comunidades autônomas”, disse Fernando Simón, coordenador de Emergências do Ministério da Saúde. O especialista destacou que o aumento no uso de unidades de terapia intensiva (UTI) foi menor do que o do dia anterior, com 18%, de modo que é de se esperar que, infelizmente, “a carga sobre os serviços de saúde continue crescendo nos próximos dias”.

Em relação aos contaminados, já são 47.610, ou seja, 7.937 a mais do que nas 24 horas anteriores, ou seja, um aumento de 20%. Como comparação, no dia anterior os falecidos cresceram 23%, enquanto os infectados também aumentaram em 20%. Há 26.960 pessoas hospitalizadas, das quais 3.166 estão na UTI, enquanto 5.367 já receberam alta.

Na quarta-feira se rompeu a tendência dos dois últimos dias, em que ocorreram mais casos novos na Catalunha do que em Madri. Nas últimas 24 horas foram registrados 2.245 novos infectados em Madri, enquanto na Catalunha foram 2.073, elevando os casos a 14.597 e 9.937, respectivamente. O número de pessoas internadas nas UTI das duas comunidades, entretanto, é mais próximo, com 1.150 em Madri e 781 na Catalunha. Nesse sentido, Simón afirmou que os hospitalizados aumentaram em quase 50% na Catalunha, enquanto em Madri não chegam a 10%. “Isso pode se dar pelo atraso na comunicação dos casos”, disse.

Simón acha que em poucos dias conseguirão reverter a curva de contágios. “A estabilização do número de mortos está ligada ao pico da curva. Estamos bem perto desse pico, mas não me atrevo a dizer se já chegamos. Mas as tendências que estamos observando nos indicam que estamos nos aproximando”, disse. Em relação aos dados positivos, destacou que a porcentagem de aumento dos novos hospitalizados, de novos casos e de uso de unidades de terapia intensiva está se estabilizando. “O uso de UTI é muito desigual nas diferentes comunidades autônomas. Quanto mais conseguirmos reverter a curva, mais fácil será o envio de recursos de umas comunidades a outras”, afirmou.

O objetivo das medidas de confinamento é reduzir os contatos de risco e, segundo Simón, “esse objetivo foi atingido”: “Temos uma mobilidade muito reduzida, entre 5% a 10% do normal. E uma redução dos contatos sociais quase completa”. Por isso, agora resta um trabalho pedagógico para que também se reduzam os contatos no próprio domicílio. “O risco não está só fora. Se uma pessoa começa a ter sintomas em casa, precisa se afastar da unidade familiar em um quarto. É tão importante quanto evitar os contatos de risco fora do domicílio”, afirmou.

Enquanto isso, José Manuel Santiago, diretor operacional da Guarda Civil, informou na mesma entrevista coletiva sobre o falecimento de outro membro do corpo por coronavírus. É um agente que estava alocado em Madri. Santiago também criticou que, ainda que a maioria da população esteja cumprindo as restrições, ainda há muitas pessoas com atitudes incivis. “Na terça-feira ocorreram 18 prisões e quase 7.000 denúncias por desobediência das limitações de circulação”, disse.

Evolução de mortes por Covid-19 por países
Miguel Ángel Villarroya, chefe do Estado Maior da Defesa (Jemad), afirmou por sua vez que a Unidade Militar de Emergências (UME) prevê realizar desinfecções na quarta-feira “em todas as áreas e infraestruturas críticas”, dentre as quais estão centenas de casas de idosos. “No total, fomos a mais de 500 residências nesses dias”, apontou. Há quase 3.000 membros da UME mobilizados em 135 localidades, e fazem trabalhos como o apoio com material de UTI no hospital de campanha de Ifema, em Madri.

José Ángel González, diretor operacional da Polícia Nacional, comentou que, apesar do estado de alarme, uma academia continuava aberta clandestinamente em Alicante, enquanto na Gran Canaria um bar continuava atendendo clientes. Além disso, várias pessoas atacaram em La Línea (Cádiz) os veículos que transportavam idosos vindos de uma residência em que ocorreram vários positivos. Nas últimas 24 horas, 55 pessoas foram presas por não cumprir com o confinamento. “Há uma diminuição nas últimas horas”, afirmou González, que afirmou terem ocorrido 6.039 sanções em um dia (42.200 no total).

Post Bottom Ad

Anuncie Aqui

Páginas